Home / Comunicação Visual /

Artes Visuais: o que são e como evoluíram nas últimas décadas?

artes visuais

Artes Visuais: o que são e como evoluíram nas últimas décadas?

A arte é um ramo tão vasto da expressão cultural que por vezes nem sempre é fácil distinguir as muitas subcategorias em que se divide. No entanto, hoje é sobre isso mesmo que vou falar. Pelo menos, vou tentar falar de uma das facetas artísticas mais presente na nossa vida: as artes visuais. Prometo que é uma leitura que vale a pena fazer.

As artes visuais, como o próprio nome indica, correspondem a trabalhos artísticos que representam um conjunto de manifestações artísticas. Estou a falar, por exemplo, de trabalhos artísticos como pintura, escultura, desenho, arquitetura, artesanato, teatro, fotografia, cinema, dança, design, arte urbana, dentre outros.

Todas estas formas de expressão artística têm algo em comum: o conceito de visualizar, de serem consumidas por intermédio da visão. Uma arte visual está relacionada com a beleza estética e com a criatividade do ser humano, capaz de criar manifestações ou obras agradáveis aos olhos.

Por essa razão, para se definir artes visuais em poucas palavras pode dizer-se que é a designação dada ao conjunto de artes que representam o mundo real ou imaginário e que tem a visão como principal forma de avaliação e apreensão. O que vamos agora ver nos próximos parágrafos é como as artes visuais se moldam nas mãos dos artistas.

Artes Visuais: o que são e como evoluíram nas últimas décadas?

O estudo das artes visuais tem-se desenvolvido de forma considerável. Já não é apenas reservado aqueles que têm talento e querem tentar a sua sorte com uma tela e uma caixa de tintas. Não, hoje já existem mesmo cursos de arte visual preparados para formar estudantes e para os dotar das capacidades de que necessitam para participar de forma ativa e positiva no mercado cultural e artístico.

Todavia, é importante perceber que o conceito de arte visual também foi ampliado, especialmente ao longo das últimas décadas e à medida que estudos provaram que a arte faz parte do ser humano desde os primórdios da sua existência. Mesmo na antiguidade clássica a arte era manifestada de formas mais rudimentares, mas está lá. Uma visita às cavernas de Foz Coa, em Portugal, poderá mostrar-nos bons exemplos de arte rupestre que sobrevive desde os dias da pré-história.

   

Além do conceito, as temáticas, técnicas e materiais usados para criar arte também mereceram alguns contributos que resultaram na sua expansão. Hoje já não é totalmente obrigatório que use folhas de papel, lápis e tintas para que crie arte: poderá simplesmente fazê-lo usando softwares de design, como o Adobe Illustrator e Adobe InDesign. Na verdade, a arte visual tem evoluído de tal forma que as próprias artes gráficas criadas através de programas de computador (softwares) se denominam de web art.

Não é por isso de estranhar que hoje a arte moderna e contemporânea sejam consideradas responsáveis por abranger ainda mais o conceito de arte e onde a forma como produzimos tal arte deixa de estar em primeiro plano: a ideia torna-se mais importante do que o caráter estético e visual do objeto artístico.

Sendo assim, atualmente podemos encontrar diversos tipos de artes visuais: vídeo arte, animações, colagens, arte urbana, instalações artísticas, performances, arte corporal (body art), apresentações de rua, história em quadradinhos, artes decorativas, arte multimédia, design gráfico, de produtor e de moda, dentre outros.

Mais do que importância estética, a arte visual tem-se também consolidado na sociedade moderna pelo seu valor educacional. As artes visuais passaram a ser importantes ferramentas de aprendizagem desde a infância, uma vez que desperta a sensibilidade estética e estimula a criatividade e a reflexão dos estudantes a partir de linguagem visual, uma linguagem que agrega quase tanto valor como a linguagem escrita.

 

Partilhar este post

Deixar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *