Home / Decoração de Espaços /

Por que é tão importante a decoração do Ponto de Venda?

ponto de venda

Por que é tão importante a decoração do Ponto de Venda?

No blog de Publicidade e Marketing foram já as vezes em que apelei a si, que está do outro lado do ecrã, para a necessidade de se esmerar na decoração do seu ponto de venda. Se tem uma loja ou até mesmo uma empresa, e costuma receber nesse espaço clientes ou potenciais parceiros profissionais, então esta deverá ser mesmo uma preocupação a considerar. Ao longo dos próximos parágrafos vou explicar melhor porquê.

O Ponto de Venda (também conhecido como PDV) é o espaço físico onde acontece o encontro entre a marca e o cliente ou entre empreendedores. Dessa forma, vários especialistas que analisaram questões semióticas e de design de interiores, constaram que a decoração de um espaço reflete de facto a imagem que a empresa quer passar ao público e que por si só pode transmitir a confiança suficiente para que um mero contacto se converta em vendas.

Vamos lá desconstruir isto.

Recorrendo à própria lógica, não é difícil perceber que se um ponto de venda proporcionar um ambiente acolhedor, que faça o consumidor sentir-se confortável e seguro acerca da marca, a possibilidade da venda acontecer é muito maior. Nós mesmos, enquanto consumidores, temos este tipo de atitude relativamente a marcas. Além do mais, o que estamos também a trabalhar com uma boa decoração é a atração: um espaço atraente vai trazer até si mais clientes e irá impulsionar os lucros da empresa.

Ponto de venda: por que é tão importante?

Para onde quer que olhemos hoje, verificamos que as alternativas e métodos disponíveis para despertar o consumo são tantas que inovar nem sempre é fácil, ainda que necessário. Por essa mesma razão, maximizar os ambientes internos dos pontos de venda (PDV) para atrair e fidelizar o consumidor pode não ser uma ideia tão descabida.

Na verdade, grandes marcas internacionais começam a priorizar cada vez mais a decoração do PDV, integrando o design do espaço na estratégia de posicionamento que pretendem veicular. Desta forma, o projeto ideal é aquele que complementa a proposta de marketing da operação e integra a identidade corporativa da empresa.

   

É necessário entender que a decoração do PDV não é supérflua: tal como os seus anúncios publicitários e qualquer outra estratégia de comunicação que esteja a usar, a decoração do PDV complementa a função de entreter, mostrar, atrair, divertir e encantar o consumidor para resultar na fidelização e na venda. Detalhes como a fachada do edifício, o layout interior, a iluminação e até mesmo a sinalização são fatores aparentemente inocentes aos seus olhos mas que podem dizer muito acerca do consumidor.

O negócio de retalho é o mais impactado pela decoração do PDV, já que todos os dias junta no mesmo espaço produto e cliente. Espera-se que a loja seja capaz de fazer o seu melhor para impressionar o cliente, adaptando a sua decoração à sua filosofia e valores. Escolhas subtis integradas na decoração podem resultar em perceções que, mesmo sendo inconscientes, traduzem exatamente o conceito da operação. E lembre-se que nunca importa o tamanho do local, mas sim a comunicação correta e a relação que se estabelece entre o cliente e a loja.

Desde sempre que a identidade visual contribuiu para a formação da imagem que se deseja transmitir, embora nem sempre tenha sido uma componente trabalhada pelas marcas. Entre os sentidos humanos, a visão está em primeiro lugar e está mais do que provado que a primeira impressão é aquela que fica. Nesse caso, é preciso ter em mente que os recursos visuais são os responsáveis por atrair o cliente no momento de escolher o produto ou serviço a ser adquirido.

Infelizmente, nem tudo é simples e como lhe disse acima, estamos numa espécie de crise de criatividade. Todos procuram boas ideias na esperança de tropeçaram naquela ideia que lhes vai dar o sucesso almejado. Assim, podemos dizer com certeza que não existe uma forma certa de se trabalhar a decoração do PDV: temos sempre de ir tentando e arriscado.

No entanto, muitos lojistas acreditam que para desenvolver um bom projeto terão um orçamento muito pesado. Mas isto não é necessariamente verdade. Com boas técnicas de arquitetura, iluminação, otimização de processos construtivos e sistemas modulares é possível criar, inovar e surpreender com poucos recursos.

 

Partilhar este post

Deixar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *