Home / Casa e Decoração /

10 princípios de design de interiores que deve conhecer

princípios de design

10 princípios de design de interiores que deve conhecer

Já todos sabemos o que é o design. Este meio é responsável por uma parte muito importante do nosso dia-a-dia, já que desenha a realidade em que vivemos. Para quem não está familiarizado com uma definição mais precisa do termo “design”, trata-se da idealização, criação e concepção de artefactos que podem ir desde um copo de cozinha ao mais recente produto lançado pela Apple.

Aplicado à decoração, surge por isso o design de decoração que procura, à semelhança do design gráfico, construir uma imagem com determinadas características, em detrimento de outras. Está tudo diretamente relacionado com certos princípios no design que condicionam a estrutura do espaço e afetam diretamente a mensagem que está a ser comunicada.

De forma a entender melhor uma parte do design de interiores, elaboramos um artigo que enumera os 10 princípios de design e os explica muito sucintamente. Esperamos que esta breve lição possa ser usada quando decorar a sua casa!

Se deseja obter ainda mais informações e dicas sobre Decoração, não deixe de conferir o nosso E-Book Gratuito com 50 Dicas de Decoração para Casa e Escritórios Empresariais.

10 princípios de design de interiores que deve conhecer

Ritmo

O ritmo diz respeito ao movimento visual que a decoração provoca tanto em si como em qualquer outra pessoa que o visite. Como estão organizados os diferentes elementos decorativos? Obrigam o olhar a movimentar-se de cima para baixo ou há uma sequência lógica? Considere cores, linhas, curvas, formas e objetos.

Harmonia

Verifique se há uma combinação entre cores, formas, texturas, ilumininação e até mesmo materiais. Só assim conseguirá um espaço com harmonia visual.

Equilíbrio

Escolha que tipo de equilíbrio deseja para a sua casa: simétrico (igual distribuição de objetos por diferentes partes da casa), assimétrico (não há equilíbrio) ou circular (distribuição de elementos num ciclo de movimento).

Unidade

A unidade é a capacidade de atribuir uma identidade consistente a um espaço, reforçando esse caráter através da combinação de elementos que vão ao encontro dos princípios explicados anteriormente.

   

Contraste

O contraste de diferentes elementos pode enriquecer a decoração de uma forma inesperada. Ainda assim, deve ser um contaste subtil: almofadas com uma textura diferente do sofá, uma moldura clara contra uma parede escura, entre outros.

Centros de interesse

Não cometa o erro de competir elementos entre si. Crie centros de interesse onde certos elementos visuais sobressaem natural devido à iluminação, tamanho e forma. Não deixe que diferentes elementos se abafem entre si.

Variedade

De forma a não criar um ambiente monótono é importante que invista em variedade de formas, texturas e cores. Ainda assim, mantenha a subtileza e o bom gosto.

Escala

Escala é a comparação entre a medida de uma representação e a medida real do que está a ser representado. Queremos com isto dizer que elementos visuais devem ser escolhidos conforme a dimensão do espaço onde serão inseridos. Móveis pequenos em salas grandes, por exemplo, irão contra o princípio de escala.

Proporção

Trata-se da relação entre três razões (medidas, áreas e espaços). O decorador pode manipular estas três razões para diminuir, por exemplo, a característica de um espaço. Entretanto, todos os elementos devem formar uma composição agradável. Deve ser avaliada a relação dos móveis entre si, com o tamanho e os objetos do ambiente.

Repetição

A repetição é um princícpio extremamente importante, uma vez que interage diretamente com outros princípios, como o ritmo, a unidade, o equilíbrio e a harmonia. Define-se pelo uso constante e repetitivo do mesmo elemento.

+ de 30.000 Subscritores

Junte-se à nossa comunidade e receba em primeira mão o nosso conteúdo.


O seu nome*

O seu e-mail

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *