cores

A influência das cores no processo de tomada de decisão do consumidor

A cor desempenha um papel importante na vida do Ser Humano: pode afetar a tomada de decisões, mudar reações ou ser a causa disso mesmo. Sob a influência de uma determinada cor, uma pessoa pode experimentar uma mudança de pressão ou apetite. Geralmente, na nossa vida, não focamos a atenção na cor, de modo que entender os seus efeitos só acontece quando a cor está, na verdade, ausente: por exemplo, num dia de nevoeiro ou chuva, podemos sentir-nos deprimidos e o mundo ao nosso redor parecer hostil.

A cor desperta reacções inconscientes que podem variar de acordo com as nossas características individuais. A cor que preferimos pode dizer muito sobre nós mesmos, sobre as nossas preocupações, medos, aspirações e por aí fora.

O maior problema na nossa indústria é a linha fina entre toda a pesquisa científica e a realidade. Apesar de todo o progresso no estudo da cor e o seu impacto numa pessoa, ainda não é possível encontrar uma correspondência clara entre estes fatores. Portanto, neste artigo partilho algumas ideias, baseadas na minha experiência pessoal e em alguns factos científicos, que abordam o tema da cor no processo de tomada de decisão do consumidor.

Preparado? Vamos lá então.

A percepção das cores

Por um lado, a percepção da cor depende das características fisiológicas do olho, sistema nervoso, experiência e meio ambiente. Por outro lado, sabemos que a cor é a radiação de diferentes comprimentos de onda caracterizados por diferentes graus de reflexão, refração e absorção. O olho percebe a cor e o cérebro começa a processa-a.

Por exemplo, as chamadas cores “quentes” – vermelho, laranja e amarelo – têm maior comprimento de onda e exigem uma quantidade considerável de energia. Estas cores estimulam o cérebro, aumentam a frequência cardíaca e até mesmo a respiração. Pelo contrário, as cores “frias”, como os verdes e azuis, têm ondas curtas e, portanto, são facilmente percebidas. Essas cores têm um efeito tranquilo e relaxante.

A experiência pessoal do indivíduo também desempenha um papel importante na percepção da cor. Cada cor dá um sinal específico ao nosso subconsciente e desperta uma emoção recíproca. Sob a influência de diferentes cores, sentimos e pensamos de forma diferente.

A psicologia da cor pode, por exemplo, ser usada para criar um ambiente confortável para negociações, ou aumentar a produtividade dos funcionários e a atividade dos compradores. Podemos reconhecer cerca de 1,5 milhão de tons. Além disso, não vemos cor – sentimos. De acordo com psicólogos, 80% da cor é absorvida pelo sistema nervoso e apenas 20% pela visão.

Quais são os efeitos estimulantes da cor?

As cores quentes (tons de vermelho, laranja e amarelo) trazem energia e estimulam, então costumam ser usadas ​​para “aquecer” os compradores na loja e aumentar a eficiência no escritório.

Sob a influência de cores frias (tons de azul, azul e roxo), a atividade das pessoas é marcadamente reduzida, os seus movimentos diminuem e, por sua vez, sentem-se relaxados.

O vermelho é a cor mais forte na paleta de cores quentes. Acelera a respiração, diminui os músculos, acelera o batimento cardíaco. Os tons vermelhos no design de interiores estimulam os compradores e aumentam as compras não planeadas. O vermelho também melhora a digestão, por isso é ideal para cafés e restaurantes. Tenha cuidado com o vermelho, no entanto, porque rapidamente nos faz cansar e provoca agressão.

O laranja, por outro lado, causa uma explosão de energia e melhora o apetite. Por outro lado,em abundância, é irritante. Enquanto isso, a combinação de laranja com tons azuis dá uma sensação de folga e liberdade: esta gama é adequada para lojas de desporto. Os tons pastel de laranja estão associados à saúde e beleza, de modo que são frequentemente usados ​​no design de lojas femininas e salões de beleza.

O amarelo é uma das cores mais atraentes. Estimula os olhos e causa humor. O amarelo é bom também para atrair a atenção. Pode ser usado para o anúncio de ofertas especiais. Além disso, o texto definido num fundo amarelo é mais conveniente para a percepção. As cores brilhantes e quentes atraem pessoas de meios moderados: uma combinação de amarelo e vermelho está sempre ligada a preços razoáveis.

Outras cores, como o azul claro, azul e roxo, criam uma atmosfera relaxante: os consumidores passam mais tempo a escolher os seus produtos e estão menos preocupados com os custos. O uso da gama de cores a frio é justificado em lojas caras e onde as filas podem acontecer com facilidade.

Por fim, o azul claro evoca também um sentimento de bem-estar. Está associado à persistência. O azul claro promove confiança e absorção de informações. O efeito benéfico desta cor pode ser usado na concepção das salas de reuniões. Quanto ao espaço do escritório, o azul claro funciona melhor na combinação com amarelo, aumentando a concentração e ativando o cérebro.

Em contraposição, o azul não é adequado a um ambiente de produção, já que dissipa a atenção, reduz a eficiência e a acuidade visual. Não é uma cor recomendada para o interior dos cafés, pois reduz o apetite enquanto faz o espaço parecer vazio e frio. Tons ricos de roxo também reduzem a atividade, reprimindo o apetite.

artes gráficas, cores marketing, cores publicidade, distribuição de publicidade, flyer, flyers, folheto, folhetos, folhetos promocionais, grafica, grafica online, graficas, paleta de cores, panfleto, panfletos, simbologia das cores


André Ferreira

André Ferreira

Nascido e criado no universo da publicidade, é impensável eu estar noutro lugar. Sou o fundador do Blog Publicidade & Marketing e também Digital Marketeer de profissão, mas sobretudo acredito que qualquer pessoa consegue alcançar o seu sucesso, através de muita dedicação e só com o apoio das ferramentas correctas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.