Home / Marketing /

Desafio do publicitário: dá-me 1 minuto da sua atenção?

publicitário

Desafio do publicitário: dá-me 1 minuto da sua atenção?

A verdade é que hoje já não vivemos apenas na era da publicidade e esse facto, enquanto não for aceite pela comunidade que anuncia, irá determinar o progresso do mercado para que percebamos quais as grandes marcas, as marcas que desaparecem e aquelas que se elevam acima de todas as outras.

A publicidade, como bem sabemos, responde de forma direta e em grande parte ao quarto P do Marketing Mix, aquele que diz respeito à Promoção. As marcas precisam de  comunicar à audiência, não só para se darem a conhecer, mas para estimularem o desejo e a necessidade que o consumidor desconhece ter em si.

O problema é que a audiência em pleno século XXI é alvo de quantidades absurdas de conteúdos. Já nem estou a falar apenas da Internet e do spam que aqui acontece. Falo também da publicidade dentro de autocarros, em folhetos que colocam no pára-brisas dos nossos carros ou até mesmo na caixa da pizza que pedimos para o jantar de ontem.

Isto significa a algo que se pode resumir de forma simples. Nós, enquanto publicitários e anunciantes, estamos numa demanda: todos lutamos por pelo menos um minuto da atenção da audiência.

Como pode um publicitário conquistar 1 minuto de atenção da audiência?

Como já percebeu pelo que disse acima, um investimento consistente em publicidade pode garantir que uma mensagem seja posta diante de um consumidor. Mas acredite não velha sabedoria popular quando diz que quantidade não significa qualidade.

   

Uma grande parte das marcas que conquistam a atenção do público são aquelas que se deslocam dos seus eixos de atuação à procura de territórios e causas, que aprofundem seu significado e relacionamento com públicos relevantes. Diante de um ritmo crescente de inovação, a saída para marcas perenes passa por encontrar significado, propósito e representação – porque os seus produtos e serviços estão constantemente a evoluir.

Como inovar? Bem, basta começar a pensar fora de caixa: o que gostava que a sua marca partilhasse com outras pessoas? Eis algumas ideias: amúsica, a educação, a reciclagem – basicamente tudo se aplica, desde que parta de um compromisso numa agenda mais ampla, que interesse à empresa e à sociedade.

O segundo passo é a ação, porque só assim atribuirá relevância e verdade a uma mensagem. A marca precisa de agir antes de falar. A ação – o símbolo de um compromisso para além da agenda comercial – enche uma mensagem de profundidade e relevância, fazendo com que um conteúdo mereça sua atenção.

 

Partilhar este post

Deixar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *