Home / Publicidade /

Wingdings: os emojis originais do mundo da tipografia

wingdings

Wingdings: os emojis originais do mundo da tipografia

Ao utilizarmos o Word e as muitas fontes que nos permite usar para ajustar o texto àquilo que necessitamos dele, e à forma como queremos apresentar, já todos nós nos cruzamos com a Wingdings: uma fonte estranha, composta unicamente por símbolos, que esconde as nossas palavras atrás de elementos visuais que nem sempre são fáceis de interpretar.

Analisando este assunto em termos mais técnicos, e usando um registo mais pedagócio, a Wingdings pode ser então identificada como uma fonte tipográfica, criada pelos designers Kris Holmes e Charles Bigelow para Microsoft em 1990 com o nome oficial de Lucida Icons, Arrows, and Stars. Renomeada Wingdings em 1992, foi distribuída, no formato TrueType, em todas as edições do sistema operacional Windows a partir da versão 3.1.

Em lugar dos caracteres alfanuméricos tradicionais, a Wingdings apresenta grupos de sinais gráficos, como setas, emoticons, pictogramas, formas geométricas, símbolos religiosos e do zodíaco e ornamentos tipográficos.

No entanto, esta fonte não foi criada por mero acaso. A história da fonte Wingdings é algo surpreendente, tendo-se tornado famosa pelas mãos da própria Microsoft quando  a multinacional tecnológica adquiriu uma coleção de “fontes de dingbat” criadas pelos especialistas em tipografia Charles Bigelow e Kris Holmes.

Para quem, tal como eu, não estava familiarizado com o termo, dingbats eram caracteres e símbolos especiais usados ​​em impressoras para adicionar emoção em certas áreas de páginas impressas numa altura em que a inserção de tais elementos exigia um processo mais sofisticado muito demorado e caro.

   

Wingdings: os emojis do passado

Hoje estamos habituados a usar emojis nas nossas conversas, e até mesmo em documentos de cariz mais “oficial”. Mas a realidade era muito diferente há 20 anos atrás. De forma a facilitar este processo e a permitir que fosse fácil inserir certos elementos em determinados documentos, foi criada uma fonte para o efeito.

Os gestos, placas, setas e vários outros símbolos proporcionados pela Wingdings podiam ser usados para enfeitar, animar ou completar documentos. Tal variedade fez com que a fonte, que foi adquirida pela Microsoft em 1990, se tornasse popular.

Mas agora já não é só isso: a Wingdings também deixou os utilizadores do Windows curiosos. “A fonte acabou por causar mais entusiasmo do que a Microsoft alguma vez antecipou”, afirmou Bigelow, em declarações à imprensa. “Surgiram até teorias da conspiração que diziam que a Wingdings tinha mensagens subliminares.”


Escolha qual o assunto de interesse que pretende receber no seu email.




 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *